No início de dezembro realizei (com a ajuda do meu sogro <3, ou futuro sogro como ele diz) o meu sonho de pisar fora do Brasil. Fomos para Santiago, no Chile. Foi tudo tão incrível que eu queria muito poder ter ficado por lá até a minha mãe me obrigar a voltar.

Viajamos no dia 14 de dezembro, não era inverno, mas ainda sim a temperatura estava agradável, com máximas de 28°C e mínima de 11°C. Todos os lugares mereciam mil fotos de tão lindos. O espanhol chileno é diferente e os nativos tem o costume de falar muito rápido, a gente quase não entendia as conversas mas não foi muito difícil de se comunicar com garçons, taxistas, vendedores e até mesmo com algumas pessoas no meio da rua quando ficávamos levemente perdidos.

O peso chileno não nos favoreceu muito. Mil pesos estava equivalendo a mais ou menos sete reais. Os táxis e restaurantes sempre davam cem reais pra cima, mas o metro tem um preço bacanudo. Algumas roupas valiam muito a pena, outras nem tanto. Acabei comprando só na Forever 21, enquanto o Ivens se apossou mais da H&M. Mas essas compras ficam para um outro post. Acho que o que mais valia a pena mesmo eram os eletrônicos.

Enquanto andávamos perdidos pelo centro após pegar a linha errada no metrô acabamos dando de cara com isso: La Moneda Palace. Mas acho que o meu sogro tava atrás desse prédio mesmo. O local é muito bonito e não dá pra ter muita noção pela foto, mas o “jardim” é enorme e tem alguns guardinhas com roupas bonitinhas tipo aqueles caras de Londres.

Andávamos pela cidade com um mapinha que o taxista do aeroporto nos deu; às vezes rolava umas discussõezinhas de “é pra direita/não, é pra esquerda/ é reto aqui”. Mas sempre dava tudo certo no final.

Nesse dia fomos conhecer o Museo Nacional de Bellas Artes. Fotografei e mostrei no snap (dieniferreis) bastante coisa lá de dentro e, só na hora da saída, descobri que não era permitido filmar ou fotografar dentro do museu, mas passei com a câmera por alguns seguranças do local e ninguém falou nada, então…

O museu fica em frente uma praça linda onde algumas pessoas conversam, fazem piquenique, tocam violão e levam seus cachorrinhos para passear. E eu aproveitei pra treinar o lado blogayra de moda.
No caminho para o museu fui obrigada a comprar uma rasteirinha porque a princípio eu estava com a minha sapatilha prata da Dafiti, mas usei tanta sapatilha desde o aeroporto e andávamos tanto todos os dias que acabei ficando cheia de calos, e como esse dia seria bem longo aproveitei pra comprar uma numa lojinha que encontrei perto do metrô, custou três mil pesos, cerca de R$21,00.
Óculos: Universo | Anel: foi presente da minha mãe | Pulseira aviãozinho de papel: Emme
 Blusa: Renner | Maxi Cardigan: Renner | Bolsa: de alguma lojinha do centro de Fortaleza | Calça: Sawary

Bilz é o melhor refrigerante do mundo! Um dos meus sonhos de 2016 é que ele seja comercializado aqui no Brasil 🙁

Ao longo da semana irei liberando outros posts sobre alguns passeios que fiz por Santiago.

Até o próximo post!

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook