giphy (14)
28 fev, 2017 // por Dienifer
Quando me perguntam o que quero fazer, é isso que ouço e são essas as coisas que penso

Não sei se você aí pretende trabalhar com beleza assim como eu, se sim, provavelmente já deve ter ouvido algum desses comentários extremamente desnecessários.

1. Beleza? Mas isso dá dinheiro?

giphy

Primeira coisa que eu ouvi quando disse que queria cursar jornalismo foi: “mas isso não dá dinheiro, ao menos vá pra publicidade…” E quando abro a boca (já dentro da faculdade) pra falar que quero fazer beleza, a reação dos colegas de jornalismo é quase a mesma: “Ahh… legal. Fulano, você viu que o Fortaleza perdeu de novo ontem?” É como se beleza não fosse um nicho existente dentro do jornalismo. Como se pra falar de cosméticos não precisasse ser jornalista. Ou pior, como se essa profissão fosse totalmente desnecessária! Oi???

E essas reações todas são muito absurdas pra mim, obvio que ninguém é obrigado a entender de maquiagem, seja homem ou mulher, mas, você sabia que essa área do jornalismo só cresce? Sabia que, mesmo em meio à crise, o mercado de beleza cresceu cada vez mais? Se você buscar no Google “mercado de beleza na economia” vai encontrar matérias falando sobre o quanto essa indústria se manteve estável, embora tenha tido uma queda de  6,7% nas vendas em 2015 devido a N fatores que elevaram o preço dos produtos, mas no geral, cresceu.

 2. Beleza é bem estar

giphy (1)

Esse mercado continua crescendo constantemente porque beleza não é só futilidade. Sei que o fato de muitas pessoas torcerem o nariz e interpretarem a minha aparência como patricinha, fútil e sem conteúdo quando digo que tipo de jornalista quero ser e quais empreendimentos quero ter é devido a mania erronia de disseminarmos por anos a ideia de que estética, no geral, é algo pejorativo – mesmo que 90% da população mundial use e abuse de tratamentos estéticos, sejam eles naturais ou não, e olha que eu to falando de homens e mulheres! Consequentemente, o meu caráter também entra em jogo porque, mesmo negando e lutando contra, nós julgamos um livro pela capa e definimos caráter através de uma roupa ou marca. Nós somos rasos demais para querermos brincar de julgar a aparência de alguém sem antes conhecer tal.

Beleza é questão de bem estar, bem estar é questão de saúde mental, saúde mental é essencial para um corpo saudável. Então, abiguinhos, beleza é muito mais que o “hábito fútil” de se maquiar – que por sinal você encontra em minha face às 7:30 da manhã de uma segunda feira e, quando você acha que não pode piorar melhorar, meu iluminador reflete a luz do ambiente e te deixa boquiaberto. 😉

Você sabia que, só no Brasil, MUITAS mulheres não se maquiam por não saberem como? Não sei dizer ao certo a porcentagem, mas acredite, é muito fácil de perceber o quanto essa “besteira” afeta a vida de tantas pessoas. Minha mãe é um exemplo, ela adora maquiagem mas não sabe se maquiar, já tentei explicar como faz mas poucas coisas ela conseguiu pegar e confessa que adoraria fazer um curso de auto maquiagem pra se sentir melhor, mais bonita e, consequentemente, confiante. Isso te soa comum? Já parou pra analisar quantas pessoas ao teu redor se encaixam nesse perfil e em como elas poderiam estar se sentindo melhor se usassem maquiagem?

3. Maquiagem, por exemplo, exige prática e dedicação

giphy (4)

É, meu povo, se maquiar não é só sentar em frente um espelho vinte minutos antes de sair e PÁ, tá linda. Não amore, você tem que estudar o negócio! Maquiagem é um exercício de prática e exige dedicação, leva algum tempo até conseguir fazer o delineado perfeito de primeira, ou passar aquele batom líquido vermelho sem borrar e se manchar toda. Você tem que procurar as melhores técnicas pro seu tipo de pálpebra, tem que encontrar os melhores produtos pra sua pele, tem que saber quais cores se dão melhor pro seu tom e subtom de cor (colorimetria se aplica aqui também!) etc. Maquiagem não é brincadeira, embora ela nos faça feliz.

4. Jornalismo de Beleza é coisa de mulher

giphy (8)

Na verdade não. Concordo que o público maior seja as mulheres, mas saiba que os homens estão cada vez mais ligados a procedimentos estéticos. A prova disso é o aumento da procura de barbeiros e a abertura de tantas barbearias por aí. Da periferia ao bairro nobre: os barbeiros estão em todos os lugares e tem estabelecimento aqui em Fortaleza que chega a cobrar r$60 para fazer a barba perfeita no estilo que o cliente quiser. A presença deles em centros estéticos também tem aumentado. Agora, pra falar sobre coisas deles no geral, é preciso de um deles. Representatividade é necessário e nada melhor que um homem, pra falar com homens sobre um assunto tão “afeminado”, segundo muitos. Homem que cuida da aparência não é gay, é inteligente e temos muitos por aí. Então, abigo, se quer seguir alguma das muitas profissões que giram em torno do universo da beleza, se joga sem medo! A sociedade precisa de você pra tornar o mundo um lugar melhor.

5. As tantas vezes que confundem beleza com moda

giphy (2)

Odeio tanto quando isso acontece… É tão difícil entender que moda trabalha com vestuário e beleza com cosméticos? Posso estar errada, mas isso dá a entender que as pessoas estão pouco ligando pra essa parte do jornalismo. Pelo o que percebo, o jornalismo esportivo tem um grande peso dentro da universidade, pelo menos na minha. Se você for ver a minha grade curricular, pode perceber que as cadeiras obrigatórias são bem imparciais em questão de qual área seguir. Mas dentro de sala os exemplos mais comuns são: “Quando você for cobrir uma partida de futebol…”; “Se você estiver em uma coletiva de imprensa com o Barcelona…”; “Sobre as perguntas que você faria para o Trump…” Nunca tem nada sobre beleza (ou até mesmo moda) no meio.

Entendo a importância da política (por motivos óbvios, né?) e do futebol no jornalismo, mas vocês tão entendendo onde eu quero chegar? Futebol é esporte, esporte é saúde física e mental, logo, futebol é importante. Porém, existem pessoas que levam o futebol para o lado fútil da coisa, pessoas que sujam o esporte e faz ele ser mal visto por muitos. Sentiu a semelhança com a Beleza? Pois é, então por quê um tem que ser menos valorizado que o outro? A falta de cadeiras de Beleza na faculdade me assusta um pouco, pra ter uma formação na área, é preciso fazer um curso por fora. Não me entenda errado, eu adoro saber que posso me especializar no que eu quiser dentro do jornalismo (seja jornalismo investigativo, esportivo, policial etc), mas seria pedir demais ter uma cadeira DE BELEZA, mesmo que optativa, dentro da faculdade? Talvez isso amenizasse um pouco as caras de desprezo… Não sei você aí que também cursa jornalismo tem alguma cadeira assim na faculdade. Eu não tenho. A única coisa “semelhante” que tanho é uma cadeira opcional de… advinha? Moda.

Agora que você já sabe tudo isso, imagina aí fazer só essas três coisas básicas que todo jornalista e blogueiro de beleza faz todos os dias:

  • Ter que resenhar com S-I-N-C-E-R-I-D-A-D-E (ética acima de tudo, por favor, né) todas as tendências do mercado da beleza
  • Ficar de olho pra tudo que é novidade (o mundo é muito grande e as notícias voam e, como todo bom jornalista, você quer passar a notícia primeiro para ganhar mais pontos na credibilidade)
  • Testar trocentos batons em uma semana porque todos são a sensação do momento e suas leitoras (que confiam em você) querem saber se tal batom presta ou não e se vale o investimento delas, lembrando que você só tem uma boca.
  • Lidar com os mais variados tipos de produtos (quando você é contra a crueldade com animais e precisa resenhar algo que foi testado em bichinhos, dói no core 🙁 )
  • Lidar com processos jurídicos porque alguma marca não gostou do seu comentário (lembra da sinceridade?)
  • Explicar para pessoas machistas que um homem usar protetor solar facial (seja com cor ou não) e outro labial é questão de saúde e não quer dizer que ele é gay, inclusive, sabia que homofobia é crime?

giphy (7)

Nesse post usei a maquiagem como exemplo principal, mas quero que expanda seus pensamentos e encaixe aqui tudo que é considerado Beleza: procedimentos químicos nos cabelos, nas unhas, cirurgias plásticas, medicamentos para fins estéticos, procedimentos em clínicas de estética, creme dental que clareia os dentes, lentes de contato com cor, perfumes, salões de beleza, barbearias, spas e por aí vai…

Então não seja tão malvada(o) com a(o) coleguinha que sabe que beleza é um assunto importante e revelante SIM, obrigada.


 

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook